blogger | gmail | blogs | o blog original

Um grande abraço, amigo João Paulo.

Já lá vão uns anitos...1996 talvez, não?

É bom recordar para percebermos o que crescemos, o que temos para amadurecer, o que queremos construir. Trinta e sete anos, tens passado e tens futuro...que mais se pode querer? Parabéns pelo teu percurso.

Maputo > Bilene > Xai-Xai > Vilanculos > Bazaruto IMPOSSIBLE IS NOTHING.

Pois é, um duplo mas único momento neste nosso espaço...

Mas que prenda pode um pai desejar no dia do seu aniversário ?

- Um filho como o nosso João Paulo... que eu tenho orgulho em ser irmão e que ao longo dos anos teve a responsabilidade de me ir abrindo portas... em algumas entrei, noutras não quis entrar, noutras não tive à altura de entrar e outras ainda cheguei mesmo a fecha-las... mas nestes anos todos só uma única frustração... frustração em não ter presenciado todos os seus aniversários... falhei o 1º (ou talvez não!!!).

Mas que prenda pode um filho desejar no dia do seu aniversário ?

- Unicamente a presença do seu "Majestoso" PAI... que temos orgulho em ser filhos e veneramos a sua figura sublime de honestidade e generosidade... um dia nós três vamos conseguir ser como tu!!!

Eu não sei porque sou assim mas, na verdade, irrito-me um pouco quando as pessoas chegam atrasadas. Seja para o que for, uma reunião, um almoço, um encontro...

E acontece que, normalmente, não têm qualquer justificação plausível. É sempre do género "eh pá, desculpa lá, atrasei-me um bocadinho, não pude vir mais cedo, sabes como é..." e, então, ainda mais me irrito. Por vezes, com aqueles que são sistemáticos nos atrasos, gostava de ser capaz de me ir embora 5 minutos antes da hora para os deixar "pendurados". Mas não sou suficientemente mauzinho para isso. Mas lá que me irrita, irrita!!

E sorrri-me despudoradamente quando li que o nosso PM, juntamente com os seus acompanhantes, chegou cerca de meia-hora atrasado à ópera Crioulo, com o CCB cheio de gente, certamente na sua maioria pagantes do seu bilhete, esperando, à seca, pela chegada de S. Exªs. Sorri, porque desta vez não foi comigo.

Considero isto uma falta de consideração, um abuso de poder, porque não há ninguém que possa devolver àquelas pessoas o tempo que ali estiveram, confortavelmente sentadas certamente, mas sem poderem usufruir desse mesmo tempo em proveito delas próprias, como é de direito, porque esses minutos pertencem só e apenas a cada uma delas. Decerto, se pudessem escolher, não os gastariam a ficar sentadas à espera de nada. Na verdade, o banco do tempo não tem volta a dar. Depois de gasto, não regressa. "Jamé", mas jamais mesmo!

Em segundo lugar, também considero que houve muita deferência, para não dizer servilismo, não sei da parte de quem, ao protelar o início do espectáculo até à chegada dos atrasados. Não dá para entender. Tenho muita pena que todos os pagantes não se tivessem levantado e saído porta fora, direito às bilheteiras, exigindo de volta o dinheirito dos bilhetes, desejando um bom espectáculo aos retardados na sua chegada.

Este é, digamos assim, um pequeno abuso, mas, se não nos manifestamos nestas alturas, a seguir virá o médio abuso, e, quando dermos conta, já vamos no grande abuso a caminho do XXL do dito como, se calhar, se passará já. Isto, se o Sindicato dos Magistrados tem razão ao dizer o que disse sobre pressões que estarão a ser exercidas, assim como outros aspectos que vêm bem expressos neste
artigo de opinião, com várias perguntas interessantes. Dêm uma leitura que vale a pena.

E, a seguir vos deixo uma citação de Bertold Brecht que, há uns anos atrás, me fez acordar:


"Não há pior analfabeto que o analfabeto político. Ele não ouve, não fala, nem participa dos acontecimentos políticos. O analfabeto político é tão burro que se orgulha de o ser e, de peito feito, diz que detesta a política. Não sabe, o imbecil, que da sua ignorância política é que nasce a prostituta, o menor abandonado, e o pior de todos os bandidos que é o político vigarista, desonesto, o corrupto e lacaio dos exploradores do povo."

Há muitos anos que não entrava no ninho do dragão e sustentado na tese de que apoiar a Selecção Nacional não se compadece com a clubite e preconceito futebolístico lá fui eu ontem ao novo estádio do FCP.

Os Santos foram à bola.

Antes do jogo comemos uns hambúrgueres e bebemos umas cervejas, bom… o meu irmão Tonas bebeu outra coisa qualquer, diz que não gosta, tem a mania, sempre foi assim, se estão todos a beber cerveja ele bebe outra coisa, é do contra mas é da Selecção.

Sempre gostei do estádio do FCP é mesmo dos mais bonitos, ficámos na bancada central mas lá em cima e pela altura fez-me lembrar o 3º anel da antiga Luz o que nos deu alguns problemas visuais para identificar os “nossos”.

O primeiro identificado foi o Bruno Alves os restantes foi mais difícil (muito mesmo).

Dizem os especialistas que foi um grande jogo o que nos faz aos 3 perguntar se vimos a mesma jogatana, achei pouco convicta a vontade de querer ganhar, faz-me lembrar o futebol do meu glorioso… bons jogadores… mas sem chama.

Gosto do meu conterrâneo (Queiroz) por 2 ou 3 grandes motivos, porque é Moçambicano, porque ganhou aqueles Mundiais de 1989 e 1991 e porque acho que tem lá tudo o que de futebol deve um técnico ter… só falta o resto.
O resto é aquela coisa de mobilizar massas, não cativa os seus jogadores nem os adeptos e depois ou tem muito azar ou procura-o em demasia, ou então são as 2 coisas juntas.

Queiroz procurou o azar:
1º porque o único “ponta-de-lança” disponível e que verdadeiramente marca golos não foi convocado (Nuno Gomes);
2º porque o Cristiano tem que marcar sempre todos os livres (e não foram poucos), ele não marca mal mas há quem marque muito melhor só que não podem porque o Cristiano é o melhor do mundo, para mim nos livres o CR7 seria a 4ª opção… 1º Simão, 2º Bruno Alves, 3º Deco, 4º Cristiano;
3º porque o Dani não é jogador de selecção;
4º porque o Hugo Almeida apesar de ter aprendido a jogar à bola com o meu amigo André também não é jogador de selecção;

Queiroz teve azar:
1º porque o Bosingwa (dos melhores) aleijou-se;
2º porque sem o Deco não há outro à altura;
3º porque o Tiago só começou a jogar quando viu o Deco a aquecer;
4º porque o Simão não está bem;
5º porque o Meireles não esteve bem;
6º porque o Cristiano só é mesmo bom quando a sua equipa está bem, é especialmente por isso que também eu sou da opinião que jogador é o Messi;

De tudo o que vi ontem e das adaptações feitas pelo nosso seleccionador o que verdadeiramente gostei foi do Pepe, está visto que temos para além de um central de nível mundial um possível trinco e com uma pintarola do caraças… a selecção do Brasil perdeu um dos melhores do mundo e nós não vamos ao Mundial.

E os outros também estão? Não sei, mas isto, agora, já começa a ser a sério. Veja-se o que diz aqui Loureiro dos Santos, quando refere, conforme a notícia do Público menciona:

"Temos de ter algumas garantias que as nossas forças de segurança têm condições materiais e morais de mobilização e motivação suficiente para garantir a lei e a ordem no país".

Mas esta chamada de atenção é feita no contexto de eventuais convulsões sociais que se presumem possam vir a suceder como resultado da crise económica.

E então para aqueles que, em Portugal, criaram situações que levaram ao descalabro financeiro nomeadamente nos casos da Banca, para esses não é preciso cumprir a lei e a ordem? É só quando o Zé Povo começa a pôr a boca no trombone é que aparecem estes toques de alvorada?

Não resisto a transcrever uma quadra de um semi-analfabeto algarvio:


Vós que do alto do vosso império,
prometeis um mundo novo
cuidai que pode o Povo
querer um mundo novo a sério
...
António Aleixo




Adoro cinema...ir ao cinema...também gosto de ver filmes, mas ir ao cinema é óptimo e trás-me muitas recordações.


Lembro-me que na Figueira da Foz, cidade onde cresci, havia duas salas de cinema, e as duas eram no Casino. Eu sei que em Buarcos também havia uma sala, mas só passava filmes XXXX.


O primeiro bilhete de cinema que comprei custou 20 escudos, e foi para a sessão infantil.


Quando cresci um bocadinho e entrei na adolescência, convenci o meu pai (sempre compincha) a ir comigo aos sábados à tarde assistir aos filmes para maiores de 18, pois só podia entrar com um adulto.

Aí o meu pai dormia grandes sestas e eu deliciava-me com os filmes.


Lembro-me da emoção das estreias e da velocidade com que os bilhetes esgotavam.

Quando apareceu o Rocky eu lá estava na linha da frente, para ser das primeiras a comprar bilhete para ver aquela obra prima. Querem ver que não viram??

Nesse dia entrei na bilheteira com os pés no ar, tal era a multidão.


Lembro-me de só ir ver filmes de terror com o meu irmão, tinha e tenho medo. Uma vez passei o filme inteiro agarrada ao braço dele, e sei que lhe dei uns apertões. O problema foi que quando a luz acendeu reparei que o meu irmão estava do lado oposto ao bracito que agarrei. O senhor desculpe, sim?


Quando cresci um pouco mais o cinema passou a fazer parte do programa de domingo à noite, com amigos e namorados (um de cada vez).


Hoje não vou tanto ao cinema como gostaria, mas nada substitui a magia de uma sala de cinema.


Hoje podemos ir ao cinema a qualquer hora, ou até ver em casa, mas a espera ansiosa pela estreia de um filme é uma recordação que guardo com carinho.




E a taça vai para.........triiiim tchim pum tarrantantan.... para o árbitro que decidiu que era penalti e para o fiscal de linha que também não viu nada de errado na decisão.

Mas vós achais que isto é só de agora? Nada disso, vejam aqui e interroguemos-nos porque não usam a electrónica para validar as decisões. E, como complemento, deliciem-se com esta notícia.

E ainda há quem pague para ir aos estádios de futebol....



Hoje, durante as leituras bloguistas, dei com esta "posta" que me fez sorrir desmesuradamente, ao tratar com muita ironia o assunto do provedor de justiça.

Dêem lá um saltinho e, se lhes apetecer, façam algumas sugestões no nosso blogue.

O Provedor de Justiça terminou o seu mandato há 8 ou 9 meses e deveria ter sido substituído, por decisão da Assembleia da República e com maioria qualificada, o que não sucedeu, conforme se tem vindo a verificar.

O nosso Presidente, sempre em cima do acontecimento e, certamente, após ponderar reflectidamente sobre o assunto, fez saber que é fundamental uma solução rápida da situação, conforme se pode ler aqui.

Para mim, que sou pouco informado, escapa-se-me porque interveio tão rapidamente.

O meu espanto não tem limites!

O Presidente do Observatório da Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo, Garcia Leandro, diz hoje, no Público, que "as leis contra a corrupção são mal feitas".

Mas onde é que nós vivemos? De que lado estão os que fazem as leis? Vale a pena ler porque as afirmações constantes na notícia são bem contundentes. E o que acontece? Nada!

"Boas pessoas não precisam de leis para obrigá-las a agir responsavelmente, enquanto as pessoas ruins encontrarão um modo de contornar as leis." (Platão)

A nossa bloguista Circe faz anos hoje.
Tem andado um pouco ausente, mas pode ser que de vez em quando venha aqui espreitar.
Este texto é para ela.

"A idade de ser feliz"

"Existe somente uma idade para nós sermos felizes,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possivel sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-los
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para nos encantarmos com a vida e vivermos apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda a intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que podemos criar
e recriar a vida,
à nossa própria imagem e semelhança
e vestir todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-nos a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que enfrentamos com toda a disposição
de tentar algo novo, de novo e de novo,
e quantas vezes fôr preciso.

Essa idade tão fugaz na nossa vida
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa."

Autor desconhecido


Um grande beijo e
FELIZ ANIVERSÁRIO CIRCE

Hoje, Sarkozi e o seu governo estão de novo com uma greve nacional em mãos. No dia 29 de Janeiro já tinha havido outra, com uma participação que terá rondado o milhão e meio de grevistas e da qual resultaram melhorias para a população mais carenciada, com o Estado francês a ter de dispender cerca de 2,6 mil milhões de € com essas medidas.

Agora, os sindicatos e promotores da greve querem novas decisões que vão no sentido de minorar os efeitos da crise nas famílias. É pá, não querem lá ver que andamos a exportar campanhas negras e manipulações para França...

Eu também não, mas uma pensão mensal na ordem dos 7450€ dá para muita coisa, quer dizer, não me parece que seja apenas aceitável, dá para viver muito bem, pelo menos em Portugal

Um franciscano é um seguidor de S. Francisco de Assis, que, tanto quanto sei, fez voto de pobreza abdicando dos seus bens materiais, mas posso estar enganado.

video

Dedicada ao meu pai de quem eu tenho muito orgulho em ser filho.

interprete: Démis Roussos
tema: My Friend the Wind
álbum: Forever and Ever
ano: 1973

Recordo-me perfeitamente de ser criança e, à saída da missa (eu era muito criança quando ia à missa), havia sempre uns pedinte. Algumas pessoas davam esmola mas a maior parte dos passantes dizia apenas - "Tenha paciência..." coisa que fazia muita falta aos pedintes, como todos nós calculamos.

Pois bem, assisti há poucos dias a uma situação, numa reportagem televisiva, que me recordou imediatamente a situação que descrevo. O Presidente da República dizendo a um grupo de manifestantes, trabalhadores despedidos, que "não tenho mais nada para lhe dar....", e fiquei irritado, claro, mas não fui capaz de postar nada aqui no "block". Felizmente, outro bem melhor do que eu, neste caso Mário Crespo, escreveu um certeiro artigo de opinião aqui. Excelente. Vale a pena ler para percebermos como as irritações e revoltas se vão acumulando.

E não resisto a um escrito de Bertold Brecht que considero adequado a este tema:

"Primeiro levaram os negros
Mas não me importei com isso
Eu não era negro

Em seguida levaram alguns operários
Mas não me importei com isso
Eu também não era operário

Depois prenderam os miseráveis
Mas não me importei com isso
Porque eu não sou miserável

Depois agarraram uns desempregados
Mas como tenho meu emprego
Também não me importei

Agora estão me levando
Mas já é tarde
Como eu não me importei com ninguém
Ninguém se importa comigo “

Vendas!?
Não me sinto particularmente motivado para falar-vos de vendas mas como estou farto de crises (ai… ui… é a pior de sempre) tomem lá vendas.

Para começar a venda só é venda após a respectiva cobrança.

Para muitos de vós o habitual é comprar e pagar no acto, o famoso toma lá dá cá, mas no Portugal das empresas não é bem assim e os P.M.R. (Prazo Médio de Recebimento) têm vindo a aumentar brutalmente e nem sequer falo nos pagamentos do estado, esses então…

No processo negocial da venda B2B (onde enquadro o meu desempenho actual) existem 4 opções:
B2B = business-to-business = venda entre empresas

1º Ganha-Perde: Eu ganho e o Cliente perde;
2º Perde-Ganha: Eu perco e o Cliente ganha;
3º Perde-Perde: Ambos perdemos;
4º Ganha-Ganha: Ambos ganhamos;

1º Ganha-Perde: Eu ganho e o Cliente perde
Normalmente ocorre quando o vendedor (neste caso eu) conheço mal os meus próprios produtos e/ou conheço mal o meu cliente.
Neste caso estou a empurrar um produto que nada trará de benefício ao cliente, ainda que involuntariamente este é um erro recorrente nas vendas, no imediato eu ganho mas poderá impedir vendas futuras.
Se for um acto premeditado aí ou eu sou burro ou quero mesmo acabar com o relacionamento com esse cliente.
Há que conhecer bem os produtos e os clientes.

2º Perde-Ganha: Eu perco e o Cliente ganha
Ocorre quando dou descontos elevados, o que parece ser uma vitória de facto não o é pois saí enfraquecido e a minha empresa também.
Há também o verdadeiro perigo de o cliente passar a só querer comprar com um desconto elevado e que não corresponde ao real valor do meu produto.

3º Perde-Perde: Ambos perdemos
Quando vendo o produto errado e no qual tive que dar um desconto elevado para conseguir a venda e o meu cliente compra-o por caridade.
O pior cenário de todos, o que nunca pode acontecer, no limite acabou com a minha carreira nas vendas.

4º Ganha-Ganha: Ambos ganhamos
O cenário que procuro constantemente.
Ocorre quando conheço bem o que vendo, as suas características e benefícios, bem como todos os factores de mercado que me rodeiam, o meu cliente até pode nem conhecer o meu produto mas eu sei que ele será o cliente certo e o meu produto será o produto que o meu cliente necessita.
O desconto será, não escrevo o mínimo possível porque isso já quase não existe, o justo para que ambas as partes ganhem.
Voltaremos a negociar sem qualquer dúvida.


Hoje é um dia especial: a nossa Ana Pedro faz anos.

(A mãe pensa que é só dela.)

Muitos PARABÉNS a uma menina especial, que vem crescendo de dia para dia, de forma tranquila e segura.

Já não é criança e ainda não é mulher, mas consegue a proeza de conviver bem com essa dupla identidade.

Gostamos muito de ti.

video

Neil Armstrong, Edwin Aldrin e Michael Collins, tripulantes da nave Columbia (missão Apollo XI) descolaram da terra a 16 de Julho de 1969 tendo aterrado na lua a 20 de Julho do mesmo ano no local designado por Mar da Tranquilidade.

A pergunta tinha uma imprecisão na data (obrigado Ana) pelo que fica reposta a data da alunagem com rigor (assim espero).

Para quem eventualmente gosta de questionar esta matéria observando 2 ou 3 fotos convido os leitores a uma visita muito rápida aqui.

Será?

Há dois dias fomos chocados com a morte de um bebé deixado num carro durante três horas.
Acredito que este muito infeliz acidente é fruto, e em simultâneo a evidência, da correria e do frenesim maluco em que actualmente vivemos.
Não consigo condenar o pai. Não imagino a dor que agora sente e sentirá para sempre! Acredito que a família se ressentirá gravemente, mas sinto uma grande compaixão por todos. Quero dizer que lamento e muito.

Mudam-se os tempos…

Numa conversa domingueira com o meu irmão, nosso companheiro de blog, dizia ele estar farto dos dias de qualquer coisa… “estou farto do dia dos namorados, do dia da mulher, ir jantar nesses dias é impossível, é a confusão total” opinião esta que imediatamente teve a minha concordância.

De facto é um horror sair para jantar num dia como o dos namorados ou outro do género, é um verdadeiro teste à nossa paciência, são as filas, o mau e insuficiente atendimento e o que deveria ser agradável torna-se num pesadelo.
E agora a talvez polémica…

Todos os meus amigos sabem que sou um chato do caraças relativamente aos “jantares de mulheres”… lembro-me sempre dos livrinhos da turma da Mónica onde à entrada há um cartaz “menino não entra”… sou um chato porque não consigo perceber a necessidade desses jantares como também não consigo perceber o cenário inverso.

Também sei que não sou o único a ter esta opinião mas como nos tempos modernos não é politicamente correcto afirmá-lo a grande maioria fica em silêncio e como não faço parte do grupo dos que para quem os jantares de mulheres são a solução para uma noite de sossego sem a “chata” lá em casa fico um pouco isolado e com a ténue sensação de que não tenho as costas quentes.

Claro que, por ter esta opinião, já fui bombardeado com tudo e o tudo é… és um machista… és um inseguro… és um retrógrado… devias procurar ajuda profissional… tudo isto e talvez muito mais.

Como no fim-de-semana passado tivemos o Dia da Mulher e os inevitáveis jantares onde “homem não entra” tive conhecimento (é verdade só agora tive conhecimento) que já há programas organizados especialmente para a ocasião e para o pós-jantar em discotecas da região onde poderiam, para além do pezinho de dança, assistir a um fantástico show de strip masculino.
Os tempos mudam realmente, já vivemos exclusivamente o tempo em que as mulheres ficavam em casa e os homens… os homens lá iam eles para as boites e casas de alterne… e as coitadas tinham que se conformar com a triste vidinha por dependência, por vergonha, por religião, porque sempre foi assim.
Esta também triste realidade ainda existe e creio eu com particular relevância no interior do nosso Portugal.

Não me considero um pregador de virtudes nem um puritano e também não vou afirmar que nunca assisti a show de strip, já assisti... melhor... a bem dizer quem protagonizou o show até fui eu (um triste show certamente) mas também não me obriguem a ter que aceitar sob a capa dos tempos modernos com alegria ou indiferença.

Então o que me espera?
Novas independências para repetição de velhos erros?

Resposta:
A capital de Madagáscar é Antananarivo.

Male - Maldivas
Lilongwe - Malaui
Bamako - Mali.

Infelizmente...ou talvez não, estou a atravessar uma fase desta passagem por cá, em que o tempo para me manter informado é realmente diminuto e já em período que sou vencido pelo cansaço... para ser sincero, o que não quero a essa hora é ser "metralhado" com as "porcarias" que por cá se vêem... começando na Política (entretenimento da moda!! onde todos querem estar... mas poucos com seriedade e humildade!), passando na Justiça, Economia, Sistema financeiro (mundo de "negociatas" onde todos querem tirar proveito de dinheiros virtuais que se tornam reais nas contas de alguns e sobretudo na nossa carga fiscal !) e acabando inevitavelmente no Futebol (temos que nos convencer que já foi em tempos um desporto, não passando actualmente de mais um entretenimento, uma peça de teatro ou um espectáculo de lutas de Recling... não sei bem como se diz!). Sendo assim, prefiro desanuviar um pouco o desgaste de mais um dia de trabalho, na minha melhor terapia... umas brincadeiras com os meus filhos e o inevitável "Astérix"... por vezes evito até passar aqui pela "pastilha", porque infelizmente a ordem do dia acaba por ser muitas vezes a "Bandalheira"... como diria o Prof. Medina Carreira... que por este país se vive. A propósito, e como certamente compreenderão, apanhei de relance uma frase por si proferida à poucas horas no programa de Mário Crespo (30 minutos) na SIC, onde era o convidado e dizia mais ou menos isto: "No pós 25 de Abril... Havia Gente; Haviam Ideias; Havia um País e Havia Esperança... Hoje, Não há Gente; Não há Ideias; Não há País e Não há Esperança!"... Pois é ... infelizmente tudo isto é verdade e o que mais me preocupa é realmente não saber o que mais me preocupa... é que Gente (classe política, financeira, judicial...entenda-se!) já nós sabia-mos que não tínhamos; Ideias começam e escassear (ou estão tapadas pelos "Tubarões" do costume!); País...começamos a perder a identidade (Há que dar os parabéns aos Professores que continuam na sua luta!); e Esperança perguntemos, se algum de nós tiver coragem, aos milhares de desempregados que nos fazem companhia à hora de jantar!

Há uns anos aprendi, por experiência própria, que devemos comprar um carro tendo sempre por base na decisão de compra também o facto de que um dia possamos/devemos ter que o vender.

Não basta ser seguro, ser giro aos nossos olhos, fiável, qualidade de construção, etc, etc, é necessário ser um modelo vendável, os meus mais próximos sabem bem que tive um Colt e que não consegui vendê-lo, o incrível é que nem faziam uma proposta simplesmente não o queriam.

Decidi por isso que daquela data em diante quando comprasse carro teria que ser um dos que se vendia sem problemas, hoje volto à primeira forma… a comprar carro volto a comprar dos que não se vendem mais.

Carjacking é a razão.

Agora foi em Vila Nova de Gaia que um VW Golf e um Range Rover foram “arrancados” das mãos dos legítimos proprietários que ainda foram presenteados com tiros de metralhadora!

Pela sua saúdinha quando comprar carro escolha um modelo pouco atractivo e de difícil venda!

TVI, noticiário das 20h00, domingo, 8 de Março de 2009, comemoração do Dia da Mulher, um cidadão africano falou assim:

A Polícia vai para Timor, para o Iraque, para o Afeganistão fazer segurança e não consegue arrumar a casa aqui.

Esta afirmação, não transcrita literalmente mas mantendo o espírito do que foi dito, refere-se à menor eficácia da actuação das forças de segurança que não conseguiram impedir um tiroteio havido nas Olaias – Bairro Portugal Novo (nome sugestivo para a insegurança que assola o País e a sua capital).

A causa longínqua desta situação terá sido uma ocupação de casa e a causa próxima o espancamento de uma senhora grávida de 7 meses.


E só posso dizer que aquele entrevistado falou e falou muito bem. No pouco tempo que teve para se expressar foi, para mim, bem mais eloquente que um deputado….e pôs os dedos nas feridas.

Já se aperceberam que os tiroteios e os assaltos à mão armada se generalizaram? E que o cidadão comum não acha piada à brincadeira, já repararam? E que eles, os políticos, falam, falam, falam, falam, e as coisas não andam, também notaram? E se os tiroteios chegarem à Praça do Comércio, ainda lá estará alguém?

Aqui está mais um desafio à comunidade da pastilha, sem qualquer pretensiosismo aqui vai o Quem quer ser o milionário da pastilha?

Irei colocar umas questões de cultura geral com 4 hipóteses de resposta em que só uma estará correcta, não vale ir às enciclopédias, é responder na hora, o vencedor ganha um jantar em casa do Rui Miguel (paga ele).
Fiquem tranquilos... é impossível saber quem acerta ou quem falha... toca a jogar!



Eu disse que não voltava a falar de futebol aqui no "block". E não volto, principalmente porque não entendo nada do dito e ainda pior fico quando leio notícias destas:

"O juiz conselheiro António Mortágua, que já foi presidente do Conselho Disciplinar da Liga e do Conselho de Justiça da Federação, além de ainda manter funções no comité de Apelo da UEFA, admitiu esta sexta-feira a existência de árbitros corruptos, recordando um jogo entre o Feirense e o Beira-Mar", in Correio da Manhã de hoje.

Vale a pena ler a notícia completa para perceber um pouco melhor como as coisas se passam. Vão a http://www.indeks.pt/, seleccionem o Correio da Manhã e sorriam....como eu. E ainda me admiro porque nada sucede.

Ele, Jean Racine disse

"Quanto mais gosto de quem me ofende, mais sinto a ofensa."

"Os mais infelizes são os que menos ousam chorar."

"O vício, tal como a virtude, cresce em passos pequenos."

Quem é este Sr?
Foi um escritor e dramaturgo francês(1639-1699).

Este ano, e estamos apenas no início de Março, já foram comprados 7 destes 7, em Portugal. Leiam aqui http://www.jornaldenegocios.pt/index.php?template=SHOWNEWS&id=357450 . Quase metade dos vendidos no ano de 2008.

E eu interrogo-me, como? Mas, principalmente, para quê?

Gordon Brown propõe o fim dos paraísos fiscais, aqui : http://http://jn.sapo.pt/Common/send.aspx?content_id=1160209

Já o nosso ministro das finanças se pronunciou nesse sentido, assim como o presidente da Comissão Europeia.

Este assunto vai decerto ser discutido na próxima reunião do G20, no início de Abril. Se todos eles estiverem de acordo embora ainda não nos tenham perguntado nada, nós, os bloguistas da pastilha não nos opomos, pois não? É que eu acho que eles ainda não tomaram uma atitude porque estão à espera que nos pronunciemos, estão a ver??...Enfim, não pode ser de repente, é chato, apanhar pessoas daquelas de colarinho alto desprevenidas. Assim sempre dá um tempinho....

Diz a notícia do Público de dia 4 deste mês que "o DIAP de Lisboa está a investigar a contratação de João Pedroso, decidida pela ministra da Educação, para fazer um trabalho jurídico que nunca foi acabado." http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1367599&idCanal=62

A contratação era no valor de 287 900 € e, ainda de acordo com o Público, à época, o técnico era professor na Universidade de Coimbra, em regime de exclusividade.

Uma jovem aluna, conforme descrito nesta notícia, Girl banned from school for having pink stitching on shoes - Telegraph, foi mandada para casa para trocar de sapatos porque os que usava, apesar de terem custado 60£, não estavam de acordo com o fardamento da Escola, onde se aplica a tolerância zero. E é para quem quer!

Claro que não foi ainda em Portugal, mas cá chegará. Eu acredito que voltaremos a ver os alunos a serem bem comportados e a cumprirem as regras. Vale a pena dar uma saltada à notícia para avaliar o grau de exigência da directora da Escola. Poderão achar que é um exagero mas princípio é príncipio, principalmente para quem está numa fase de aprendizagem.

O meNino Vieira foi abatido ao stock e é mais um líder africano que morre por isto ou por aquilo… que é como quem diz… morre depois de levar com umas catanadas na cabeça e nos membros seguido de uns tiros de G3 ou de AK47 mais conhecida por Kalashnikov (já li as 2 versões).

Ora aqui está uma sondagem:
Se acha que N.V. devia ter sido morto com rajadas de G3 prima a tecla X (CAPS LOCK p.f.);
Se acha que N.V. devia ter sido morto com rajadas de Kalashnikov prima a tecla Y (CAPS LOCK p.f.);

Como diria o meu irmão António “a questão não é essa é outra completamente diferente”, porquê matar o presidente se a Guiné nem dinheiro tem para um novo acto eleitoral?

E África que bem podia ser a oportunidade continua a ser a dúvida.

Eu sei que vivemos em Portugal, o tal País europeu dos brandos costumes. Mas é-me de todo impossível não abrir a boca de espanto - entre 27 de Fevereiro e 2 de Março, a PSP deteve 36 pessoas que conduziam viaturas automóveis sem carta de condução. E isto não quer dizer que se tinham esquecido delas em casa, não! Essas pessoas não estavam legalmente habilitadas a conduzir.

Irrita-me isto! Sempre que há operações de controle do tráfego rodoviário sucede o mesmo - detenção de indivíduos sem carta. E irrita-me, sobremaneira, pelos eventuais danos que possam vir a causar a terceiros. Não há seguro que cubra esses prejuízos e os ofendidos vão penar para se verem ressarcidos dos males sofridos.

Isto só se verifica, certamente, porque as sanções aplicadas são muito suaves. Se lhes apreendessem a viatura, definitivamente, a favor do Estado e lhes dessem duas ou três semanas de trabalhos manuais, a pintar estradas ou a limpar bermas, de sol a sol, creio que não brincariam desta maneira.

"Estamos no caminho do êxito quando compreendemos que o fracasso não passa de um desvio."

W.G.Milner Jr.